Topo
Tales Faria

Tales Faria

Guedes vira a mesa para fazer de Carlos Melles o novo presidente do Sebrae

Tales Faria

2016-04-20T19:09:36

16/04/2019 09h36

Nesta quarta-feira (17) o ministro da Economia, Paulo Guedes, deve fazer mais um risco em seu coldre.

Ele conseguiu antecipar do dia 24 para amanhã a reunião do Conselho Deliberativo Nacional (CDN) do Sebrae que deverá destituir o presidente do órgão, o ex-deputado João Henrique Sousa (MDB).

João Henrique foi nomeado no final do governo de Michel Temer, em novembro de 2018, para um mandato de quatro anos.

Paulo Guedes queria no cargo Antônio Alvarenga, casado com uma prima sua. Mas o presidente da Confederação Nacional da Indústria, Robson Braga de Andrade, conseguiu o apoio de Temer para empossar João Henrique.

Robson Andrade tem mandato até 2022, mas está afastado do comando da CNI desde que foi detido, em fevereiro, pela Polícia Federal sob acusação de desvio de recursos do Sistema S.

Agora Guedes conseguiu virar a mesa. Obteve o apoio de 11 dos 15 membros do CDN, liderados por Rio de Janeiro e de São Paulo, para derrubar João Henrique, que também tem mandato até 2022.

O ministro quer nomear para o comando da entidade, nesta reunião de amanhã, o ex-deputado Carlos Melles (DEM-MG).

Envolvido na articulação com Paulo Guedes, o ex-presidente do Sebrae e assessor especial de Guedes, Guilherme Afif Domingos, deve eleger Bruno Quick para a Diretoria Técnica.

O secretário de Produtividade e Emprego do Ministério da Economia, Carlos Costa, nomeará Eduardo Diogo para a Diretoria de Administração e Finanças, hoje ocupada por Melles.

Antes de tomar posse, Paulo Guedes chegou a declarar que o Sebrae e demais órgãos do chamado Sistema S deviam ser extintos. Agora parece ter mudado de opinião.

Um dos aliados de Guedes na empreitada, o presidente da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira, defende que o Sebrae preserve sua área de ensino técnico, desfazendo-se das demais funções.

Sobre o autor

Tales Faria largou o curso de física para se formar em jornalismo pela UFRJ em 1983. Foi vice-presidente, publisher, editor, colunista e repórter de alguns dos mais importantes veículos de comunicação do país. Desde 1991 cobre os bastidores do poder em Brasília. É coautor do livro vencedor do Prêmio Jabuti 1993 na categoria Reportagem, “Todos os Sócios do Presidente”, sobre o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello. Participou, na Folha de S.Paulo, da equipe que em 1986 revelou o Buraco de Serra do Cachimbo, planejado pela ditadura militar para testes nucleares.

Sobre o blog

Os bastidores da política pela ótica de quem interessa: o cidadão que paga impostos e não quer ser manipulado pelos poderosos. Investigações e análises com fatos concretos, independência e sem preconceitos.