Topo
Tales Faria

Tales Faria

Assista: ministro e presidente do Inep protagonizaram tragicomédia pastelão

Tales Faria

2003-05-20T19:13:38

03/05/2019 13h38


Você assistiu ao vídeo acima? Trata-se de um pequeno trecho da entrevista coletiva de imprensa concedida ontem pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, e pelo presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), Elmer Vicenzi, para anunciar que o Sistema de Avaliação do Ensino Básico neste ano custará apenas R$ 500 mil

Depois, como se sabe o Ministério divulgou que houve um engano. Não serão R$ 500 mil, mas R$ 500 milhões.

Poderia ser o trecho de uma comédia pastelão, se não fosse uma cena trágica. Talvez uma tragicomédia pastelão, se é que isso existe.

Num dado momento o ministro, festejando, disse que Elmer Vicenzi "veio para cá para fazer mágica. E já chegou marcando gol". Orgulhoso, o subordinado respondeu: "Missão dada!"

"Missão dada, missão cumprida" era o lema da 16ª Legião do Império Romano, criada no ano 70 depois de Cristo. Uma alusão à devoção que seus soldados tinham pelo imperador.

Hoje o lema é utilizado por forças militares em todo o mundo. O próprio capitão da reserva Jair Bolsonaro costumava usá-lo na campanha eleitoral.

Digamos assim, neste caso o "general" Weintraub e o "coronel" Vicenzi se comportaram como um sargento apressado e seu soldado atrapalhado.

Alguém lhes falou dos R$ 500 mil e eles resolveram usar rapidamente como instrumento de marketing sem se questionar: como era possível?

O indicativo de impossibilidade era tão grande que imediatamente os repórteres, durante a entrevista, já questionaram a quantia.

Como puderam um ministro e o presidente do Inep, cercados de técnicos, não terem desconfiado?

Só a pressa em demonstrar devoção pelo imperador pode explicar. Aliada, é claro, ao ódio guerreiro pelos "inimigos" que criticavam a retenção de recursos para instituições de ensino e pesquisa.

Não à toa, em dado momento da entrevista (reveja no vídeo),o ministro falou que os R$ 500 mil seriam um valor desprezado "por instituições que recebem bilhões".

Acho que por aí a gente entende a origem do erro…

 

 

Sobre o autor

Tales Faria largou o curso de física para se formar em jornalismo pela UFRJ em 1983. Foi vice-presidente, publisher, editor, colunista e repórter de alguns dos mais importantes veículos de comunicação do país. Desde 1991 cobre os bastidores do poder em Brasília. É coautor do livro vencedor do Prêmio Jabuti 1993 na categoria Reportagem, “Todos os Sócios do Presidente”, sobre o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello. Participou, na Folha de S.Paulo, da equipe que em 1986 revelou o Buraco de Serra do Cachimbo, planejado pela ditadura militar para testes nucleares.

Sobre o blog

Os bastidores da política pela ótica de quem interessa: o cidadão que paga impostos e não quer ser manipulado pelos poderosos. Investigações e análises com fatos concretos, independência e sem preconceitos.