Topo
Tales Faria

Tales Faria

Bolsonaro quer vencer de qualquer jeito, se o Senado mexer ou não na MP

Tales Faria

2028-05-20T19:10:42

28/05/2019 10h42

O Senado deve votar hoje em plenário a MP 870. É aquela que estabeleceu a reforma administrativa do governo, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro assim que tomou posse.

É uma boa oportunidade de se conhecer o "Método Bolsonaro" de vencer com qualquer resultado. Pelo menos para o seu eleitorado.

Eu explico.

Entre outras coisas, a MP diminuiu de 29 para 22 o número de ministérios e transferiu o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Economia para o da Justiça. A Câmara manteve as 22 pastas, mas devolveu o Coaf para a Economia.

Bolsonaro incentivou a manifestação das ruas deste domingo em que o bolsonaristas criticaram o Congresso e pediram a volta do Coaf para o ministro Sérgio Moro.

A MP expira na próxima segunda-feira (3 de junho). Se for alterada no Senado, volta à Câmara para nova votação. Se não der tempo de os deputados apreciarem novamente, ela perde a validade.

Bolsonaro então, declarou publicamente que preferia que os senadores não mexessem. Mas que "o Congresso é soberano".

Ou seja, se os senadores mexeram, venceram as ruas –que pediram a alteração e cuja manifestação o presidente capitaneou.


Se os senadores não mexerem, venceu o pedido do presidente de não permitir a volta da MP à Câmara.

Simples assim a estratégia de Jair Bolsonaro: com qualquer que seja o resultado os bolsonaristas poderão dizer que o presidente venceu.

E quem perde?

Quem perde com este tipo de confusão é o país, meu caro Watson!

Sobre o autor

Tales Faria largou o curso de física para se formar em jornalismo pela UFRJ em 1983. Foi vice-presidente, publisher, editor, colunista e repórter de alguns dos mais importantes veículos de comunicação do país. Desde 1991 cobre os bastidores do poder em Brasília. É coautor do livro vencedor do Prêmio Jabuti 1993 na categoria Reportagem, “Todos os Sócios do Presidente”, sobre o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello. Participou, na Folha de S.Paulo, da equipe que em 1986 revelou o Buraco de Serra do Cachimbo, planejado pela ditadura militar para testes nucleares.

Sobre o blog

Os bastidores da política pela ótica de quem interessa: o cidadão que paga impostos e não quer ser manipulado pelos poderosos. Investigações e análises com fatos concretos, independência e sem preconceitos.