Topo
Tales Faria

Tales Faria

Paulo Guedes pediu e PSL estuda desistir de destaques em favor de policiais

Tales Faria

30/06/2019 13h53

A bancada do PSL na Câmara reúne-se nesta segunda-feira (1º de julho) para decidir se desiste da apresentação de destaques em favor das carreiras policiais no projeto de reforma da Previdência.

"Estamos dialogando, com o relator, o presidente da Comissão Especial, o presidente da Câmara, líderes partidários e parlamentares do PSL para não apresentar nenhum destaque. Sendo que nesse diálogo o relator faria pequenas adequações", disse ao blog o líder do PSL, Delegado Waldir (GO).

Os deputados do partido são os que mais apresentaram propostas de emendas ao projeto de reforma tentando igualar os benefícios de agentes penitenciários, policiais militares e civis, bombeiros e carreiras correlatas aos que serão concedidos aos militares.

O próprio líder apresentou uma emenda nessa direção.

Essas emendas serão todas recusadas pelo relator, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP).

Resta aos interessados a possibilidade de apresentar destaques ao texto do relatório para serem votados, tanto na comissão especial como, depois, no plenário.

Liderados pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), os partidos do Centrão (PP, DEM, MDB, PL, PRB, SD, entre outros) ameaçam atrasar ou simplesmente não votar a reforma se o PSL insistir nos destaques.

O Centrão reúne cerca de 200 deputados. Nos casos em que se alia à oposição, costuma derrotar o governo.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, está pedindo aos deputados do PSL que não apresentem destaques. Ele pediu ajuda, inclusive, ao presidente da República. Quer que Jair Bolsonaro interferira junto à bancada para não apresentar destaques.

Será um teste para a fidelidade dos deputados do partido ao Planalto. Trata-se da bancada com maior número de deputados com base eleitoral entre policiais.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Tales Faria largou o curso de física para se formar em jornalismo pela UFRJ em 1983. Foi vice-presidente, publisher, editor, colunista e repórter de alguns dos mais importantes veículos de comunicação do país. Desde 1991 cobre os bastidores do poder em Brasília. É coautor do livro vencedor do Prêmio Jabuti 1993 na categoria Reportagem, “Todos os Sócios do Presidente”, sobre o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello. Participou, na Folha de S.Paulo, da equipe que em 1986 revelou o Buraco de Serra do Cachimbo, planejado pela ditadura militar para testes nucleares.

Sobre o blog

Os bastidores da política pela ótica de quem interessa: o cidadão que paga impostos e não quer ser manipulado pelos poderosos. Investigações e análises com fatos concretos, independência e sem preconceitos.