Topo
Tales Faria

Tales Faria

Com mineração em terras indígenas Bolsonaro obtém apoio à nomeação do filho

Tales Faria

28/07/2019 19h17

De bobo o presidente Jair Bolsonaro não tem nada. Sua manifestação a favor da exploração de minérios em terras indígenas beneficia diretamente seu filho mais novo, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

A declaração feita no sábado (27) no Rio de Janeiro pode ser decisiva para conseguir apoio para a aprovação, pelo plenário do Senado, da nomeação de Eduardo como embaixador nos EUA.

É que boa parte dos senadores defende a exploração de minérios em terras indígenas, incluindo alguns que não são simpáticos ao governo.

E o presidente declarou que um dos motivos para indicar seu filho à embaixada nos EUA é o interesse num acordo para transferência de tecnologia e recursos dos EUA para mineração em territórios indígenas.

"Acho salutar a exploração, contando que se mantenha a preservação ambiental e que as tribos venham a ter benefícios sociais", disse ao blog o senador Ângelo Coronel (PSD-BA), membro da Comissão de Relações Exteriores (CRE) que irá sabatinar Eduardo Bolsonaro.

Ele é aliado no seu estado do governador petista Rui Costa e contrário à indicação do filho do presidente. A mesma posição do líder de seu partido, o também baiano Otto Alencar, que também defende a "exploração sustentável" com benefícios para os índios.

Mas Omar Aziz, do mesmo PSD, não só deverá votar em plenário a favor da nomeação de Eduardo Bolsonaro, como é um ardoroso defensor da mineração em terras dos índios. "A exploração sustentável seria boa para o Brasil, boa para remunerar os índios e muito boa para meu estado, o Amazonas" disse ao blog. "E acho que o presidente, ao ser eleito, recebeu procuração para nomear quem ele quiser para a embaixada."

Outro membro da CRE, Márcio Bittar (MDB-AC) também defende a entrada nas terras dos índios.  "É claro que sou favorável à mineração em terras indígenas. A ideologia da intocabilidade só trouxe pobreza e miséria para eles e para a Amazônia. Se um acordo com empresas estrangeiras trouxer recursos, será melhor ainda", disse.

"E poucas pessoas compreendem tanto quanto o Eduardo Bolsonaro ele a política externa pregada por seu pai na campanha. Ele ajudará muito", afirma Márcio Bittar.

Também membro da CRE, Katia Abreu (PDT-TO) é mais uma a defender a mineração em terras indígenas "desde que os recursos sejam depositados em um fundo soberano para promover o desenvolvimento do país".

Mas a senadora pedetista continua contra a nomeação de Eduardo Bolsonaro. "Uma coisa não tem nada a ver com a outra", afirma.

O fato é que as indicações para embaixadas são decididas por voto secreto. E é aí que está o temor da oposição.

Senadores que antes não votariam com o governo agora podem ter encontrado uma motivação: o empenho do presidente em que seu filho feche um acordo com os EUA para promover a mineração na Amazônia.

Ecologia, ambientalismo e proteção aos índios não são lá temas muito caros aos congressistas.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Tales Faria largou o curso de física para se formar em jornalismo pela UFRJ em 1983. Foi vice-presidente, publisher, editor, colunista e repórter de alguns dos mais importantes veículos de comunicação do país. Desde 1991 cobre os bastidores do poder em Brasília. É coautor do livro vencedor do Prêmio Jabuti 1993 na categoria Reportagem, “Todos os Sócios do Presidente”, sobre o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello. Participou, na Folha de S.Paulo, da equipe que em 1986 revelou o Buraco de Serra do Cachimbo, planejado pela ditadura militar para testes nucleares.

Sobre o blog

Os bastidores da política pela ótica de quem interessa: o cidadão que paga impostos e não quer ser manipulado pelos poderosos. Investigações e análises com fatos concretos, independência e sem preconceitos.