PUBLICIDADE
Topo

Alexandre Frota se absteve na Previdência: “Resolvi seguir a voz das ruas”

Tales Faria

07/08/2019 08h52

"Nessa hora já não precisavam do meu voto. Resolvi seguir a voz das ruas nesse ponto". Foi essa a explicação do deputado Alexandre Frota (PSL-SP) para sua abstenção durante a votação em segundo turno do texto básico da reforma da Previdência.

De início, ao ser perguntado pelo Whatsapp sobre o motivo de sua abstenção, ele pareceu ter entendido que se tratava do fato de não ter falado ao microfone:

"Eu? Eu não me abstive. Estive o tempo todo lá ontem. Sabíamos que perderíamos alguns votos. Então fiquei mais atrás, no celular, trocando [informações] com Rodrigo [Maia] e agindo com os líderes para colocar ou não membro para falar. Eu fiz o Mapa com o Rodrigo ontem na casa dele, de 10h30 até as 14 :30. Ontem não tinha necessidade de fala minha."

O blog enviou-lhe, então, o resultado conforme constava do painel de votações.

Frota respondeu:

"Ah, sim. Nessa hora já não precisavam do meu voto. Resolvi seguir a voz das ruas nesse ponto."

O blog insistiu: "Como assim seguir a voz das ruas? Esse ponto é o texto base da reforma".

Travou-se, então o diálogo a seguir.

–Alexandre Frota: Você está muito preocupado com o meu voto rsrs.

Só queria entender a motivação, pois o sr. era coordenador da aprovação da reforma. Aí se abstém no texto base? Imaginei que fosse por engano.

–Alexandre Frota (deputado): Rsrs. Claro que não.

Então qual a explicação? Tem a ver com seus desentendimentos dentro do partido?

–Alexandre Frota (deputado): Já te falei. Ouvi as ruas, a saída do aeroporto, a entrada da Câmara, os 1.500 e mails que chegam por dia. Resolvi me abster. Imagina se fosse não. Meu desentendimento não é com partido. É com Bolsonaro.

As ruas são a favor da abstenção em relação à reforma?  Pensei que fossem contra a reforma, ou a favor da reforma.  Não que não tivessem opinião.

–Alexandre Frota (deputado): Rsrs Eu jamais votaria "não". ENTAO ABSTENÇÃO é melhor. Ou você acha que sou obrigado a votar sim ou como você votaria? Relaxa. Do meu trabalho eu cuido bem.

Sobre os desentendimentos dentro do partido. Frota está em atrito com o senador Major Olimpio (PSL-SP) e com a deputada Carla Zambelli (PSL-SP).

Na última quinta-feira (dia 1), ele distribuiu um texto explicando por que se manifestou contra a indicação do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) a embaixador nos EUA. Ele dizia:

"Eduardo Bolsonaro deve honrar os 1.843.735 votos de confiança que recebeu e continuar exercendo as funções de Presidente Estadual do PSL em São Paulo, já que repeliu a participação democrática de seus colegas de Câmara Federal que se dispuseram a isso. A Constituição Federal, sobretudo, deve prevalecer diante do desejo de realizar novo intercâmbio no exterior, desta vez em grande estilo."

ATUALIZAÇÃO à 11h10:  Depois da conversa acima com o blog, Frota falou com outros veículos de imprensa. Acabou revelando, então, o motivo exato de sua abstenção. Foi porque soube que o presidente Jair Bolsonaro pediu que ele fosse retirado do cargo de vice-líder do PSL e da coordenação da reforma da Previdência.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Tales Faria largou o curso de física para se formar em jornalismo pela UFRJ em 1983. Foi vice-presidente, publisher, editor, colunista e repórter de alguns dos mais importantes veículos de comunicação do país. Desde 1991 cobre os bastidores do poder em Brasília. É coautor do livro vencedor do Prêmio Jabuti 1993 na categoria Reportagem, “Todos os Sócios do Presidente”, sobre o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello. Participou, na Folha de S.Paulo, da equipe que em 1986 revelou o Buraco de Serra do Cachimbo, planejado pela ditadura militar para testes nucleares.

Sobre o blog

Os bastidores da política pela ótica de quem interessa: o cidadão que paga impostos e não quer ser manipulado pelos poderosos. Investigações e análises com fatos concretos, independência e sem preconceitos.