PUBLICIDADE
Topo

Tales Faria

Presidente da CCJ ameaça adiar a reforma da Previdência

Tales Faria

21/03/2019 09h08

Não é só o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), quem está irritado com o governo Jair Bolsonaro. A irritação atinge boa parte do Congresso, incluindo figuras-chave do partido do governo, o PSL.

Felipe Francischini (PSL-PR), novo presidente da Comissão de Constituição e Justiça, reclamava ontem à noite na Sala de Cafezinho do plenário:

"Estou pensando em adiar a indicação do relator. Ninguém do governo, nem o ministro Paulo Guedes (Economia) me procurou. Então eles não estão com tanta pressa assim."

Não se tome a reclamação como uma revolta eterna. No Congresso, às vezes isso é só um recado. Tudo o que o parlamentar quer é ser procurado. Paulo Guedes pode telefonar hoje e o deputado se transformar num velho, fiel e eterno aliado.

A irritação do presidente da CCJ –a mais importante comissão da Câmara– serve para mostrar a falta de tato do governo. Felipe Francischini é um governista de carteirinha.

"Eu estou tendo que me virar sozinho. Hoje (ontem) mesmo evitei que o ministro Paulo Guedes fosse convocado a obrigatoriamente comparecer à CCJ para dar explicações sobre a reforma da Previdência. Transformei a convocação em convite sem que tivesse ninguém do governo me  pedindo", disse.

Até a manhã de hoje, estava mantida para esta quinta-feira (21) a divulgação do nome do relator do projeto de reforma na comissão. Se isto ocorrer, a expectativa é que o relatório seja lido na semana que vem.

Mas, se o ministro e ninguém do governo procurar o deputado, pode ser mesmo que Felipe Francischini adie para a semana que vem a divulgação do nome do relator.

Aí será a primeira semana de fato perdida na tramitação do projeto. É esperar para ver.

[Atualização: no final da manhã a assessoria do PSL distribuiu a seguinte nota:  "Dando uma resposta sobre a possível coletiva que seria realizada hoje para o anúncio do relator da previdência. Ela foi adiada. Depois de uma reunião com líderes partidários,  ficou acordado que não haverá a indicação do relator até que o Governo, através do Ministério da Economia, apresente um esclarecimento sobre a reforma e a reestruturação dos militares." ]

Na semana passada (dia 14), Francischini declarou a este blog que esperava anunciar nesta semana o relator para que o projeto seja aprovado na CCJ até o final do mês. Assista abaixo o vídeo com sua previsão postado no dia 15:

Sobre o autor

Tales Faria largou o curso de física para se formar em jornalismo pela UFRJ em 1983. Foi vice-presidente, publisher, editor, colunista e repórter de alguns dos mais importantes veículos de comunicação do país. Desde 1991 cobre os bastidores do poder em Brasília. É coautor do livro vencedor do Prêmio Jabuti 1993 na categoria Reportagem, “Todos os Sócios do Presidente”, sobre o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello. Participou, na Folha de S.Paulo, da equipe que em 1986 revelou o Buraco de Serra do Cachimbo, planejado pela ditadura militar para testes nucleares.

Sobre o blog

Os bastidores da política pela ótica de quem interessa: o cidadão que paga impostos e não quer ser manipulado pelos poderosos. Investigações e análises com fatos concretos, independência e sem preconceitos.